Biblioteca Afetiva


Havia lido as Fábulas de Monteiro Lobato e outros clássicos infantojuvenis quando encontrei na biblioteca de minha mãe Os sofrimentos do jovem Werther, do alemão Johann Wolfgang von Goethe. Foi um acontecimento. Li em três dias. Tinha treze anos. A narrativa da louca paixão de Werther por Carlota, incomum hoje num mundo fragmentado, prende o leitor. Relata um sentimento platônico que machuca a pele e conduz a um fim trágico. Na época descobria o amor e, com Goethe, descobri também a literatura (leia mais sobre a obra na seção Making of).

Gudryan Neufert é jornalista. Nasceu em Blumenau (SC) e graduou-se em jornalismo pela PUCPR e em história pela UFPR. Atua como repórter na Rede Record. Vive em São Paulo (SP).


Relembrando as famosas “provas do livro”, me vêm à mente títulos que volto a ler vez ou outra para matar a saudade. Entre vários nomes o que mais me chama a atenção é Meu pé de laranja lima, de José Mauro de Vasconcelos. Uma obra doce, marcada pela relação tão próxima da vida do dono do pé de laranja lima com o cotidiano dos meninos pobres. A carga de emoção contida na história é o que faz com que o leitor se apaixone cada vez mais pelo livro. A consequência disso é que hoje tenho sempre um livro à mão onde quer que esteja.

Jefferson Larsen de Lima nasceu em Paranavaí (PR), onde vive. É compositor e desenhista, canta e toca contrabaixo na banda Causa Própria.