POEMA | Natasha Felix
30/03/2021 - 02:05

TAMBÉM ISSO É CINEMA 


Quando você nasceu, a Mangueira ganhou pela décima sexta vez
com um enredo em homenagem ao Drummond. Agora, te assisto picotar
o haxixe marroquino enquanto fingimos que a estrada é só a estrada. 
Você conta as histórias dos seus vizinhos e rompe a noite. Você 
enche o balde d'água e me pede fica mais
Também isso é cinema. Olhar o homem – viver com quem o carregou 
até aqui. Beijo seus olhos e assisto a cidade esse set preparado para o incêndio. 
Toco a tua boca e visito os anos que não testemunhei. A aventura. Seus
ossos crescendo no baile. As vigas da casa cedendo mas não muito. 
Busco aquele gesto único que você falou outro dia. 
E fico porque não encontro. 

 

Natasha Felix é uma poeta e performer santista. Seu livro de estreia, Use o Alicate Agora, foi publicado pelas edições Macondo em 2018. Tem textos publicados em revistas e antologias, com destaque para o livro As 29 Poetas Hoje (Ed. Companhia das Letras, 2021) e Nossos Poemas Conjuram e Gritam (Ed. Quelônio, 2019). Desenvolve projetos que investigam a poesia falada e a interlocução com outras artes.
 

Últimas Notícias