Retrato de um artista | W. G. Sebald



Winfried Georg Maximilian Sebald, mais conhecido como W.G. Sebald, escreveu apenas quatro romances, o que foi suficiente para que sua obra ficasse marcada como uma das mais originais da literatura mundial no século XX. Sebald empreendeu uma escrita inclassificável, que mescla gêneros como o ensaio e o relato memorialístico, em uma narrativa que ainda traz imagens e documentos como elementos importantes das histórias. Nascido em Wertach imm Allgäu, na Alemanha, em 1944, Sebald estudou literatura alemã e rodou a Europa como professor universitário. Foi só depois de completar 40 anos que começou a escrever os romances altamente peculiares que lhe renderam fama internacional. Com poucos diálogos e sem capítulos, seus livros são obras melancólicas pontuadas por imagens em preto e branco — velhas fotografias, recortes de jornal e cartões postais —, que acentuam no leitor a dúvida em relação à veracidade do que é narrado. Apesar de ter passado grande parte da vida na Inglaterra, Sebald escreveu seus livros em alemão e dizia não confiar na sua capacidade de traduzi-los. Três deles — Vertigem (1990), Os emigrantes (1992) e Austerlitz (2001) — tratam do passado da Europa. Já Os anéis de Saturno (1995) é uma meditação em fragmentos sobre a caminhada de um homem pelos cenários de East Anglia. Aclamado pela crítica, Sebald começava a conquistar um público mais amplo quando morreu em um acidente de automóvel em Norfolk, em 2001.

Samuel Casal nasceu em 1974 e é ilustrador profissional desde 1990. Ilustrador freelancer, quadrinista e gravurista, colabora com publicações nacionais e internacionais. Vive em Florianópolis (SC).