Retrato de Um Artista | André Breton


O fascínio pelos descaminhos da mente humana guiou o escritor francês André Breton, que nasceu no interior da França, em 1896. Mudou-se para Paris em 1913, para estudar medicina. Também poeta e psiquiatra, seguiu o dadaísmo num primeiro momento, mas os horrores que vivenciou na Primeira Guerra Mundial — Breton trabalhou em um hospital cuidando de soldados com problemas mentais — o afastaram da visão de mundo dadaísta, e o levaram a publicar, em 1924, o primeiro Manifesto surrealista, texto considerado fundador do movimento. Nele, defende o inconsciente e os instintos humanos como as reais forças criadoras da expressão artística. Seu romance Nadja (1928) consagrou o surrealismo na prosa literária. O livro tem traços autobiográficos, remetendo a uma paciente que o autor conhecera dois anos antes. Seu livro mais importante na poesia é O amor louco (1937), com poemas que defendem as loucuras cometidas em nome do amor. Durante a Segunda Guerra, foi perseguido e deixou a França, retornando um ano após o fim do conflito. Faleceu em Paris, em 1966, aos 70 anos.

DW Ribatski nasceu em Curitiba em 1982. É artista plástico, ilustrador e quadrinista. Nas HQs, publicou Como na quinta série (Balão Editorial, 2012), La naturalesa (coleção MIL, Cachalote/Barba Negra, 2011) e Vigor mortis (Quadrinhofilia/Zarabatana Books, 2011, com José Aguiar e Paulo Biscaia). Seu mais recente trabalho é Campo em branco. Vive em São Paulo (SP).