Prêmio Paraná de Literatura

Tradição resgatada


Em sua primeira edição, Prêmio Paraná de Literatura vai selecionar livros inéditos, de autores de todo o País, nas categorias romance, conto e poesia

A Secretaria da Cultura do Paraná, por meio da Biblioteca Pública do Paraná, lançou no final de junho o Prêmio Paraná de Literatura 2012. Em sua primeira edição, o concurso vai selecionar livros inéditos, de autores de todo o País, em três categorias que homenageiam figuras importantes da literatura paranaense: Romance (prêmio Manoel Carlos Karam), Contos (prêmio Newton Sampaio) e Poesia (prêmio Helena Kolody).

O vencedor de cada categoria receberá R$ 40 mil e terá sua obra publicada pela Biblioteca Pública do Paraná, com tiragem de mil exemplares. Os premiados também receberão 100 cópias de seus livros. As obras concorrentes serão avaliadas por uma comissão julgadora formada por um presidente e nove membros (três em cada categoria).

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas até o dia 31 de agosto deste ano. O resultado será divulgado na primeira quinzena de dezembro. O edital do Prêmio Paraná de Literatura 2012 está disponível nos sites da Secretaria da Cultura do Paraná (cultura. pr.gov.br) e da Biblioteca Pública do Paraná (bpp.pr.gov.br).

Criado para figurar entre os principais concursos literários do Brasil, o Prêmio Paraná de Literatura combina uma premiação de valor expressivo com a publicação das obras vencedoras. E, além de ter seus livros distribuídos para as principais bibliotecas do País, os autores premiados poderão reeditar os títulos comercialmente.

“Mas, acima de tudo, trata-se de um dos prêmios mais democráticos no País, pois aceitará obras inéditas de quaisquer autores. Poderemos premiar um autor consagrado ou iniciante”, afirma Rogério Pereira, diretor da Biblioteca Pública do Paraná. Para ele, o prêmio valoriza a produção literária brasileira e cria mais um espaço para a discussão e divulgação de livros.

Tradição
Segundo Pereira, o Prêmio Paraná de Literatura surge da necessidade de o Estado voltar a ser um dos protagonistas nacionais em relação a concursos literários. Ele lembra que, entre os anos 1960 e 1980, o Governo do Paraná promoveu o Concurso Nacional de Contos, que revelou e premiou grandes autores.

Na primeira edição, realizada em 1968, Dalton Trevisan, Lygia Fagundes Telles, Luiz Vilella e Samuel Rawet figuraram entre os vencedores. Nos anos seguintes, escritores como Clarice Lispector, Marcos Rey, Rubem Fonseca e Ignácio de Loyola Brandão também foram premiados.

Pereira também destaca a tradição paranaense na publicação de jornais e revistas literárias (Joaquim, Nicolau, Cândido, etc.) e o reconhecimento internacional de autores como Dalton Trevisan e Cristovão Tezza. “A criação do prêmio consolida ainda mais o Paraná como um dos Estados mais importantes dos cenários literário e cultural do País”, diz.