Poesia

CADA MALACO NO SEU MALHO [5554]


Glauco Mattoso

É vario o vicio: em pinga ha quem se affogue.

Rockeiro que se preza ama a maconha.
Não passa um bom pornographo sem bronha.
Absintho deix a um bardo meio grogue.

Ainda nos cavallos ha quem jogue.
Nos bichos quem aposta sempre sonha.
Nenhum anarcho achei que não se opponha.
Um hacker tem perfil falso e tem blogue.

Não joga dominó quem joga dado.
"Teenager", nos taes "games", ning uem batte.
Não sabe ser masoca quem é sado.

Chocolatras adoram chocolate
e, claro, no soneto é viciado
o cego que, na insomnia, virou vate.





Glauco Mattoso
é poeta e escritor. É autor, entre outros, de Tripe de tripudio e outros contos hediondos, que traz 25 histórias breves inspiradas em seus próprios sonetos. Vive em São Paulo (SP).

Ilustração: Mayla