Notas da Província

Retrato de um Artista 

Para celebrar os cinco anos do Cândido, o selo Biblioteca Paraná lança em setembro uma caixa com 30 desenhos de escritores, feitos por 20 ilustradores, para a seção Retrato de um Artista. Publicadas de forma ininterrupta durante 45 edições, as obras mostram uma variedade de autores selecionados, brasileiros e estrangeiros — de Valêncio Xavier a Miguel de Cervantes, de Mario de Andrade (foto) a Jorge Luis Boerges. A publicação também apresenta aos leitores alguns do principais artistas gráficos, cartunistas e ilustradores brasileiros, que estão fazendo história na imprensa e no mercado editorial. São eles: Alberto Benett, Allan Sieber, André Ducci, DW Ribatski, Fellipe Canalli, Heitor Yida, José Marconi, Klaus Koti, Leo Gibran, Manuel Depetris, Marina Moraes, Orlandeli, Pedro Franz, Renato Faccini, Ricardo Humberto, Rogério Coelho, Rômolo D’Hipolito, Samuel Casal, Theo Szczpanski e Weberson Santiago. As caixas serão distribuídas a todas as Biblioteca Pública do Estado e também vendidas na BPP a R$ 30.


Walter Craveiro / Flip

Escritor na Biblioteca 

Silviano Santiago é o próximo convidado do projeto “Um Escritor na Biblioteca”. O encontro acontece em 21 de setembro no auditório Paul Garfunkel da Biblioteca Pública do Paraná, às 19h30. A entrada é gratuita. Santiago é escritor, crítico literário e professor emérito da Universidade Federal Fluminense (UFF). Entre seus livros de ficção, destacam- se Em liberdade (prêmio Jabuti de romance), Stella Manhattan, Heranças (prêmio Academia Brasileira de Letras para romance) e o mais recente, Mil rosas roubadas, que em 2015 venceu o Prêmio Oceanos. O autor já recebeu o prêmio para conjunto de obra, concedido pelo governo do estado de Minas Gerais, o prêmio Machado de Assis, outorgado pela Academia Brasileira de Letras, e, em 2014, o prestigioso prêmio ibero-americano de literatura José Donoso, concedido pelo Chile. Desde 2011, o projeto Um Escritor na Biblioteca já recebeu 40 autores da literatura brasileira contemporânea. O próximo convidado é o jornalista e escritor Zuenir Ventura, no dia 19 de outubro.


Contos do Cândido

O Cândido vai selecionar 12 jovens autores (entre 18 e 30 anos), nascidos ou radicados no Paraná, para integrar uma coletânea de contos que será publicada pelo selo Biblioteca Paraná. As inscrições já estão abertas e seguem até 16 de outubro. Cada autor pode participar com apenas um texto, que deve ser totalmente inédito, incluindo publicação na internet. O conto deve ter entre 5 e 15 mil caracteres (fonte Times New Roman, 12, espaço 1,5). A seleção será feita pela equipe do Cândido. A inscrição é feita exclusivamente pelo e-mail: jornalcandido@bpp.para.gov. br. Juntamente com o texto, o candidato deve enviar cópia do RG, comprovante de residência, telefone e uma breve biografia, de três a cinco linhas, contendo as seguintes informações: local de nascimento, cidade em que vive atualmente e ocupação. O resultado será anunciado na página da Biblioteca Pública do Paraná no mês de novembro.

Divulgação


Oficina de quadrinhos

Entre 27 a 29 de setembro, das 14h às 17h, a Biblioteca Pública do Paraná promove a oficina “Histórias em Quadrinhos — Dialogos com literatura e cinema”, com Eloar Guazzelli. As inscrições, gratuitas, ficam abertas até o dia 16 e são realizadas pelo e-mail oficina@bpp.pr.gov.br. Podem participar pessoas com mais de 18 anos e que tenham familiaridade com desenho. As 30 vagas serão preenchidas por ordem de chegada. “Partindo da exposição dos elementos estruturais das histórias em quadrinhos (roteiro original/roteiro adaptado, composição das cenas, etc), vou propor estabelecer relações das HQs com a literatura”, diz Guazzelli. O artista nasceu em Vacaria (RS) e é desenhista há mais de três décadas. Consagrou- se no universo das histórias em quadrinhos e também faz animações para o cinema. Já ilustrou mais de 60 livros para crianças, entre eles, Histórias de mistério, de Lygia Fagundes Telles, e A Árvore dos desejos, de William Faulkner. Guazzelli também já verteu para a linguagem dos quadrinhos vários clássicos literários, como Grande sertão: veredas, de Guimarães Rosa, e Vidas secas, de Graciliano Ramos.