B

Biblioteca

Em 2011, a Biblioteca Pública do Paraná iniciou um grande processo de reformulação e modernização, que transformou a instituição em um verdadeiro centro de conhecimento, cultura e convivência. A criação do Cândido, em agosto daquele ano, foi um dos primeiros passos dessa caminhada, amplamente documentada pelo jornal. Mas, em vez de olhar apenas para o próprio umbigo, a publicação mensal da BPP também buscou entender a função das bibliotecas no século XXI, por meio de reportagens especiais e artigos assinados por especialistas.

“Enquanto certos prefeitos se recusam a montar bibliotecas, embora governos acenem com promessas de ajuda, a Suécia criou bibliotecas para os latino-americanos exilados. Eles sabem que os exilados precisam alimentar o seu imaginário na própria língua. Portanto, como venho repetindo, a leitura é o verdadeiro pré-sal."

Affonso Romano de Sant’Anna, em artigo que discute a importância das bibliotecas e do ato de ler no mundo contemporâneo (edição 68, março de 2017). Foto: Lina Faria


“Creio que as bibliotecas podem ser um lugar a partir do qual é possível educar o cidadão na aprendizagem de uma ética social. Uma biblioteca, sobretudo uma biblioteca nacional, pode oferecer exemplos de outros modelos sociais e de outras condutas cívicas. Em tempos de corrupção generalizada e falta de empatia, a biblioteca pode nos ensinar a nos comportar de outra maneira, através de histórias que não são as oficiais. Não sei se isso pode funcionar, mas creio que devemos tentar.”

Alberto Manguel, então diretor da Biblioteca Nacional da Argentina, em entrevista concedida a Mariana Sanchez (edição 68, março de 2017). Foto: Elisandro Dalcin



                  
Fabiano Viana      Antonio Dias Raros de Oliveira

Simon Taylor    Thiago Salcedo
A convite do Cândido, cinco artistas gráficos ligados ao movimento dos urban sketchers (“desenhistas urbanos”) retrataram o prédio histórico da Biblioteca Pública do Paraná, localizada no centro de Curitiba (edição 68, março de 2017)