4 Poetas Paranaenses | Adriano Scandolara


SAGITÁRIO A*


(culminação de uma colagem sobre Bilac)

falo com fogo em teu seio, neblina
e alta noite curva estes céus erecta
sombria lembrança as estrelas trêmulas
chaves frescas que possui o luar

tão cego enfim seus enganos agora,
doce esmola o primeiro olhar solto
do teu, exílio apesar de ofendido
na treva a névoa pálpebras medrosas

olhar neles eleva tinge a aurora
esses beijos essas feridas penso
e terna primavera um turbilhão

o derradeiro violento céu serras
chorando desce, entre estrelas morre
olha-me sereno ( ) ouvir estrelas


BEULÁ


Pudesse alguém
cruzar o paraíso
em sonho e uma flor lhe fosse
dada de prova
que seu espírito esteve

mesmo lá, e ao despertar
tivesse em mãos
                     não
                     a mesma flor, mas
uma rosa, a corola
embrulhando como fosse uma abelha
um verme a roê-la —



Adriano Scandolara é poeta e tradutor. Nasceu em 1988, em Curitiba, onde vive atualmente. É autor de Lira do lixo (Patuá, 2013) e do volume de traduções de Percy Bysshe Shelley, Prometeu desacorrentado e outros poemas (Autêntica, 2015), além de ter traduzido também autores como John Milton, Marjorie Perloff e Hari Kunzru. É coeditor da revista e blog escamandro (www.escamandro. wordpress.com). Seu segundo livro de poesia, PARSONA, do qual foi tirado o poema “Sagitário A*”, será publicado até o final de 2016.